Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

1 de jul de 2016

Amigo tem cheiro

Estava num jantar entre amigos e o papo rolava solto regado com muitas gargalhadas, bem do jeito que deve ser um encontro entre amigos que prezam uma boa amizade. De repente alguém saca um IPhone e pronto, em poucos minutos já éramos dois grupos distintos: os com e os sem IPhone.

Um dia desses estávamos em casa eu, Ana e Isabelle, e quando vimos estávamos os três conectados em aparelhos diferentes. Estávamos próximos, mas muito distantes.

A tecnologia tão maravilhosa dos nossos dias, que facilita nossa vida, nos rouba, ela mesma, o tempo que deveria sobrar para vivermos a nossa humanidade. Somos tão atraídos por ela que nos perdemos dentro dela e dos seus muitos caminhos e sem perceber nos tornamos muito virtuais também. Sem vida. Sem sentimentos.

Voltava de ônibus do Paraná, ao final de mais um Teen Street Brasil, e tentava sintonizar uma rádio. Finalmente consegui uma que apresentava um programa com o nome de “As 30 Mais do Sertanejo Jovem”. Quando comecei a ouvir já estavam nas 10 últimas músicas, isto é, as 10 mais votadas naquela semana. O que me chamou a atenção foi que, entre estas 10 melhores colocadas, apenas uma não falava de um relacionamento desfeito.

Por que será que são criadas tantas músicas com este tema? Será apenas imaginação dos compositores, ou experiências realmente vividas? Por que será que tantas pessoas se identificam com as situações vividas nestas canções? Será o relacionamento um grande problema atual? Sou quase levado a afirmar que sim.

O corre-corre de cada dia nos tem roubado oportunidades de estarmos mais juntos e fortalecermos laços duradouros. Os nossos próprios interesses nos tem feito criar relacionamentos do tipo “fast food”, que quando nos saciam são deixados prá lá, sem criar vínculos saudáveis para uma duração maior. Então, amizades são passageiras, casamentos acabam, familiares não se falam, crentes não se suportam e Deus, quando precisar falo com ele.

Nossos amigos já não têm mais cheiro, mas sim perfis.  Não tem olhos vivos, mas olhos frios das fotos destes perfis. Nossos relacionamentos são virtuais. Sem contato. Sem calor. Sem sabor. Sem cheiro. Estamos desaprendendo a nos relacionarmos uns com os outros. As grandes amizades já quase não existem mais. Amores acabam com muita facilidade. Os relacionamentos são tão virtuais, que ouvi dizer que numa ação judicial de um funcionário contra uma empresa em São Paulo, a testemunha indicada pelo funcionário era um “amigo” do facebook.

Creio que Cristo pensava diferente quando disse: “Eu lhes dou este novo mandamento: Amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros” (Jo13:34). O amor de Cristo é eterno e não passageiro. Então, se fôssemos obedientes ao nosso Senhor, não teríamos problemas de relacionamentos. O evangelho estaria sendo anunciado com uma força muito maior, pois Cristo continua dizendo: “Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos” (Jo13:35).

Salomão nos diz de maneira enfática que “O amigo ama em todo o tempo” (Pv 17:17). Então não há desculpas, mesmo nos momentos mais complicados, mais difíceis, o amigo tem que estar junto, pois o mesmo Salomão nos diz: “Não abandones o teu amigo” (Pv 27:10). Nos momentos em que o amigo mais precisa um do outro é que percebe que, na realidade, aquele amigo não era tão amigo assim, pois amigo é amigo mesmo em toda e qualquer situação. Acredito que os amigos virtuais não teriam essa característica que é essencial para os amigos.

A verdadeira amizade não tem segredos e quem nos ensinou isso foi o próprio Jesus Cristo quando disse para os discípulos: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer” (Jo15:15). Para mim esta é a maior valorização que a verdadeira amizade já teve: O próprio Jesus Cristo chamar-nos de amigos. Nada poderia ser melhor.

Deus é um ser relacional, e amizade é relacionamento.

Como estão, ou são, seus relacionamentos? Seja com a sua família, com amigos, com irmãos na igreja, com colegas de trabalho ou com seus vizinhos?  Sinceros, profundos, duradouros? Ou você faz parte das “estatísticas” das músicas sertanejas? Muita coisa pode mudar a partir de você, para melhor ou pior. Pense nisso!