Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

6 de ago de 2016

Procuram-se loucos!


Um belo dia você abre o jornal procurando uma oportunidade e encontra o seguinte anuncio:

Procuram-se loucos...
  • Que estejam dispostos a largar tudo. Abandonar a tranquilidade da casa dos pais e partir em uma jornada para um lugar desconhecido, e que cada novo passo será conhecido durante o caminhar.
  • Que estejam dispostos a receber e obedecer ordens, mesmo que isto inclua sacrificar o próprio filho.
  • Que tenham a coragem de construir um barco imenso em um lugar muito distante de rios ou mares, alegando que recebeu uma informação de que haverá uma inundação que acabará com toda a humanidade, e apenas os que estiverem no barco sobreviverão.
  • Que estejam dispostos a sofrerem todo tipo de zombaria, chacota, levar chibatadas; serem apedrejados, aprisionados, jogados em uma fornalha, entregues a leões famintos, decapitados, mas ainda assim continuarem acreditando.
  • Que recusem receber honrarias, morar nos palácios, serem chamados de príncipes, se isso os levar a abandonar seus princípios.
  • Que acreditem que o mar irá se abrir a despeito da descrença de todos ao redor, e que o outro lado da dificuldade é só uma questão de tempo, de acreditar.
  • Que sejam loucos o suficiente para levar outros a acreditarem que poderão derrubar muralhas apenas com caminhadas, gritos e sons de trombetas.
  • Que creiam que uma prostituta pode mudar sua atitude e cooperar bravamente com o reino de Deus, colocando até mesmo sua família em risco.
  • Que acreditem que com um pequeno grupo de apenas trezentos homens derrotará um imenso e poderoso exercito muito bem armado.
Não há limites de vagas. Não precisa ter experiência anterior. Capacitação garantida de melhor qualidade oferecida pelo chefe. Todos os benefícios possíveis e imagináveis.

Todos que já trabalharam conosco não se arrependeram. Um deles chegou a registrar seu sentimento de confiança em trabalhar conosco dizendo: “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral, nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação” (Hc 4:17,18). A despeito de tudo o que pudesse acontecer ele estava firme.

Outro que sofreu horrores enquanto trabalhavam conosco, que chegou mesmo a desejar morrer, ao terminar sua carreira disse: “Está próximo o tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda” (II Tm 4:6-8). Por tudo quanto experimentou no relacionamento conosco, tinha a certeza absoluta de que a recompensa por investir sua vida trabalhando nesta causa, valeria a pena.

Qual seria sua reação? Correria todos estes riscos acima e outros que pudessem aparecer? Estaria seu nome na galeria dos heróis da fé?

A versão da Bíblia “A Mensagem”, de Eugene H. Peterson fala sobre esses heróis da fé: “Por seus atos de fé, eles venceram reinos, fizeram obras de justiça, viram promessas cumpridas. Foram protegidos de leões, incêndios e ameaças de morte, transformaram a desvantagem em vantagem, venceram batalhas, afugentaram exércitos invasores. Mulheres receberam seus queridos de volta. Foram eles que, sob tortura, se recusaram a desistir e ser libertados, preferindo algo melhor: a ressurreição. Outros enfrentaram abusos, açoites e, sim, algemas e prisões. Temos informações de alguns que foram apedrejados, serrados ao meio, assassinados a sangue frio; história de homens vagando pela terra em peles de animais, sem teto, sem amigos, sem força – o mundo não os mereceu – vivendo como podiam nas periferias cruéis do mundo” (Hb 11:32-38). E graças a eles, hoje temos oportunidade de conhecermos o evangelho de Jesus Cristo. Se depender de nós, os próximos terão a mesma oportunidade?

Se eu e você não quisermos aceitar esta oportunidade outros aceitarão e o trabalho será feito, mas nós perderemos o imenso privilégio de termos participado desta obra tão maravilhosa.

Procuram-se loucos. Não loucos no sentido de doente mental, mas loucos por um ideal, por uma crença, por uma fé.

Procuram-se loucos. Você é louco o suficiente para encarar, servir a Deus, apesar de tudo isso, e continuar até o fim para que outros conheçam a Cristo?