Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

29 de jan de 2013

A tragédia de Santa Maria.


Sempre tem muito falatório depois que as tragédias acontecem. E em Santa Maria não tem sido diferente. Logo aparece um vereador, um deputado, um prefeito, e dependendo da proporção da fatalidade, um Ministro de qualquer coisa, uma Presidente, e outros tantos, espertalhões, querendo seus minutos de propaganda eleitoral grátis. O pior é que, sempre, ninguém tem culpa alguma.

Talvez seja culpa do alvará que estava vencido. Se o alvará estivesse atualizado a tragédia não aconteceria? O que é preciso para ter um alvará atualizado, dando condições de funcionamento? Trabalhei numa empresa onde eu era o responsável pela atualização dos alvarás, e sei que muitas são as exigências. Um alvará provisório pode ser concedido com promessa do proprietário de que as exigências serão fielmente cumpridas. Talvez fosse o caso de não expedir o tal documento sem que todas as exigências estivessem realmente cumpridas de acordo com as normas de segurança para o local.

Mas, vivemos num país que não é sério. A frase "O Brasil não é um país sério.", originalmente atribuída ao general Charles de Gaulle, mas que, na realidade, foi dita pelo embaixador brasileiro na França, Carlos Alves de Souza Filho, por volta de 1963, nos mostra que somos uns brincalhões há muitos anos. Conhecemos o tão famoso “jeitinho brasileiro” de se fazer as coisas. Infelizmente a corrupção rola solta neste país, que pretende ser de primeiro mundo. Então, as coisas são feitas de acordo com a moral, com o caráter, com a ganância, daqueles que são os responsáveis por elas. Alguns míseros trocados bastam para que se faça “vista grossa”, e se deixe passar alguns detalhes que podem, no futuro, serem cruciais para salvar vidas.

Um garotinho brincando com um game no avião, chama a atenção do pai e diz: “Pai, ele entrou no caminho da morte, vem ajudar ele sair”. No game da vida muitos estão no caminho da morte por sua irresponsabilidade desenfreada, que não mede as consequências que podem advir de suas decisões corrompidas pelo desejo de “se dar bem”, e não agem com seriedade em suas funções. Assim as tragédias vão se amontando por ai, em todos os lugares. Sejam incêndios em locais como a Boate Kiss, ou enchentes como na Região Serrana do Rio de Janeiro e em Xerém, em naufrágios como o Bateau Mouche 4 no Rio, em 1988, e tantas outras.

Talvez estejamos vivendo tempos de Noé, quando “viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque todo o ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra” (Gn 6:12). Para Jeremias Deus disse: “Percorram as ruas de Jerusalém, olhem e observem. Procurem em suas praças para ver se podem encontrar alguém que aja com honestidade e busque a verdade” (Jr 5:1). Para nós, hoje, diria: “Procurem pelo seu país para ver quantos encontrarão que ajam com honestidade, que não se corrompam com facilidade, que busquem a verdade”.

“A justiça engrandece a nação, mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo” (Pv 14:34), diz o texto sagrado. É assim que me sinto vendo algumas coisas que acontecem no nosso país. Falta vergonha na cara de alguns que ficam na telinha se dizendo verdadeiros santos, enquanto provas e mais provas são apresentadas contra eles. É uma vergonha essa falta de vergonha. Até mesmo de alguns que se dizem cristãos. Isso me irrita muito.

No sermão profético Jesus Cristo avisa que “devido ao aumento da maldade, o amor de muitos se esfriará, mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mt 24:12,13). Sendo assim não podemos nos admirar disso tudo que ocorre por ai, mas sim entender que faz parte do inicio do fim, ou do meio do fim. Entender, mesmo sem compreender às vezes, que tudo isso era previsto de acontecer.

Tanto quanto o personagem do game do garotinho do avião os personagens reais da vida estão também caminhando a passos largos para a morte. Então, vale lembrar o enfático apelo de Judas: “Queridos amigos, lembrem-se do que os apóstolos do nosso Senhor Jesus Cristo lhes disseram, que nos últimos tempos viriam esses escarnecedores, cujo único propósito na vida é deleitar-se em todas as formas de maldade que se possam imaginar. Eles provocam discussões; amam as coisas pecaminosas do mundo; não têm o Espírito Santo morando neles. Procurem ajudar aqueles que contendem contra vocês. Tenham compaixão daqueles que duvidam. Salvem alguns, arrebatando-os como se fosse das próprias chamas do inferno. E quanto aos outros, ajudem-nos a encontrar o Senhor, sendo bondosos com eles, mas tomem cuidado para que vocês mesmos não sejam arrastados para os mesmos pecados deles. Detestem qualquer vestígio do pecado deles, enquanto têm compaixão deles como pecadores” (Jd 17-19 e 21-23).

Como o garotinho do avião, nos resta pedir a Deus, nosso Pai, pelo consolo e conforto das famílias que perderam seus filhos na boate Kiss, e pelos que andam nos caminhos da morte, para que tenham tempo de arrependimento.

19 de jan de 2013

Se souber frear...


Duas jovens, em um ônibus, conversavam sobre habilidade para dirigir um veículo. Uma tinha habilitação e a outra não. Segundo uma delas dirigir é tranquilo: “se souber frear pode tudo”. Observando o trânsito da cidade, começo a pensar que muitas outras pessoas pensam da mesma forma.

Isto pode ser aplicado também para outras áreas da nossa vida. Muitas coisas erradas que andam acontecendo provavelmente chegaram à proporção atual porque um dia alguém pensou que seria fácil frear.

Uma dessas coisas é o desmatamento.  Continuamos pensando que será possível parar com ele, mas a ganancia sem freios dos madeireiros, dos agricultores e dos nossos representantes em Brasília, passa como um rolo compressor por cima de toda e qualquer tentativa. A cada dia o nosso planetinha fica menos verde.

O viciado é outro que com certeza começou crendo sinceramente que poderia pisar no freio quando quisesse.  A ótima banda de rock gospel, Fruto Sagrado, canta em sua música “Vicio”:
“Até onde você pensa chegar? Será que ainda pensa?
Será que o vício ainda deixa você pensar?
No início parece legal
Todo mundo acha que não vai se viciar,
Se desintegrar... na rodinha de "amigos"
Na pista de dança... em qualquer lugar...
Fumando, cheirando, bebendo, pegando todas
Todo mundo "na boa"... todo mundo "legal"...
Ainda assim insiste e vai mais fundo,
Perde o rumo, o prumo... não sabe mais voltar!”

Não consegue encontrar o freio e cada vez pisa mais fundo no acelerador. E a mesma música pergunta:
“Até quando você vai aguentar?
Até quando você vai aguentar?
Ver a droga do vício... do lixo...
Te dominar, te controlar... te manipular!”

O namoro é outro ambiente onde os freios estão em constante falta de manutenção. Tudo começa com um simples olhar de admiração, uma conversa inicial, mãos dadas, beijinho no rosto (pelo menos no meu tempo era assim que começava). Então, as lonas do freio se desgastam rápido demais, e acontecem os beijos na boca. A aceleração aumenta, os freios começam a falhar; vai para o longo beijo na boca com línguas também desenfreadas. O carinho rapidamente se transforma em carícias bem audaciosas nas curvas sinuosas. Os freios finalmente se deterioram por completo e o namoro em alta velocidade e totalmente descontrolado... Você sabe como termina isso.

Outras tantas situações se aplicariam aqui, mas, o que importa não é ficarmos pensando nelas e sim em como evitar. O apóstolo Paulo deixou registradas as palavras que poderão servir de freios para qualquer situação: “Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar” (I Co 10:3). Esta orientação pode ser complementada por outra deixada por Tiago: “Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós” (Tg 4:7).

11 de jan de 2013

O trem da vida.


Maria Fumaça em Tiradentes (MG) - Ulicio Andrade
Entre os meses de Março e Julho de 2012, andei mais vezes de trem do que nos outros 645 meses da minha vida.

Hoje fiquei observando o movimento das pessoas que entravam e saiam em cada uma das estações onde o trem parava. Quando embarquei em Madureira outras pessoas entraram também. Muitas já estavam no trem. De Madureira até Japeri varias pessoas entraram e saíram. Outras que estavam quando entrei saíram em algum lugar. Algumas foram até o final comigo.

Ai eu fiz um paralelo com a vida. Quando embarquei no trem da vida no dia 9 de novembro de 1958, muitas pessoas já estavam embarcadas. Algumas entraram no trem junto comigo. Muitas pessoas que já estavam quando entramos desceram nas próximas estações; outras continuam até hoje. Pessoas que embarcaram depois desceram antes.

No trem da Central do Brasil, na próxima viagem verei novamente aquelas pessoas, principalmente os camelôs. Como tem camelô no trem. Vende-se de tudo. Alho, canetas, pipoca, pen-drives, agulhas, bananadas, joelheiras, lanternas, chips telefônicos, CD com quase 300 músicas gravadas (piratíssimo), DVD gospel por R$ 3,00, enfim tudo. Ah, é proibido, por determinação do Ministério Publico do Rio de Janeiro, qualquer tipo de manifestação religiosa (este é um país livre?).

No trem da vida quando alguém desce numa estação acabam-se todas as possibilidades. Não haverá mais oportunidade para desejar um bom dia; para dar um sorriso ou chorar; criar amizades; para amar; para perdoar ou pedir perdão; para reclamar; não haverá oportunidade para mais nada.

Um dos grandes problemas da vida, é que vivemos como se fôssemos eternos, mas não nos preparamos para a eternidade. O homem rico, da parábola contada por Cristo, vendo que sua colheita fora abundante planejava construir outros celeiros para guardar tudo e viver sua vida sem precisar de nada, nem de ninguém. “Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?” (Lc 12:20). Toda a sua segurança estava nas coisas que ele colheria. Mas nada daquilo lhe serviria para alcançar o perdão de Deus no momento que sua alma fosse pedida. Nesta hora só tem valor o que plantamos no coração de Deus. É com esta colheita que devemos nos regalar com sua abundância, pois a sua escassez não será nada agradável.

Em uma reportagem sobre Nelson Rodrigues, citaram uma fala dele que dizia que “a alma nunca morre”, e é verdade. Mas a nossa grande preocupação não deve ser só o fato da morte ou não da alma. Nossa preocupação deve ser o que acontecerá em sua eternidade. Qual o caminho que ela seguirá, pois segundo o apóstolo Paulo “todos devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” (II Co 5:10).

Para os que tiverem uma boa colheita a fazer daquilo que plantaram no coração de Deus a Bíblia garante que ouvirão: “Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25:34). Os que passaram pelo trem da vida sem a preocupação de produzirem frutos em abundancia no coração do Pai, o apóstolo Paulo diz que “eles sofrerão a pena de destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da majestade do seu poder” (2 Ts 1.9).

O trem da vida está nos trilhos. Muita gente está descendo ou subindo em cada estação. O pior de tudo é que neste trem não sabemos em qual estação iremos descer. É sempre bom estar atento, pois a qualquer hora o trem vai parar, a porta se abrirá e você será retirado dele. 

A promessa de Cristo é: Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito a arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira” (Ap 22:12,14,15).

Saia do trem com estilo! Saia nos braços de Cristo.