Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

14 de abr de 2017

De repente!

Estava vendo um filme sobre o tsunami na Tailândia, e fiquei pensando como somos pequenos e indefesos diante da criação. O filme falava de uma família que resolveu passar as ferias na região afetada por aquela tragédia. Estavam todos aproveitando de tudo que aquela região oferecia, e de repente, aquele aguaceiro todo que acaba com tantos futuros.

Nenhuma pessoa quando projeta um passeio em algum lugar lindo como aquele pode, sequer por um instante, imaginar que algo como aquilo pudesse acontecer. Creio que mesmo hoje, depois daquela tragédia, muitos ainda estão indo passear naquelas praias. Como imaginar uma tragédia tão grande num momento de felicidade? A vida nos faz recusar qualquer possibilidade de que, em algum momento, algo muito ruim nos aconteça.

Por mais que saibamos que o transito é muito violento, não saímos de casa imaginando que iremos bater e sofrer danos irreparáveis, ou mesmo morrer. Tenho visto pessoas que constroem suas casas em locais onde uma tragédia é quase real, mas constroem assim mesmo, até que algo ruim acontece, e parece que ficam espantadas sobre como aquilo aconteceu. Era mais que previsto.

Não temos o habito de avaliar algumas situações, por que elas nos assustam muito. Preferimos acreditar que nada de ruim ira acontecer. Preferimos correr riscos, na quase certeza de que nada irá acontecer. Chegamos mesmo a duvidar de que algo muito sinistro ocorra. Todas as pessoas que sofreram com a perda de bens materiais e vidas, no acidente da barragem de Mariana, estavam certas de que nunca aquilo ocorreria. Por mais que houvesse planos de escape, a quase certeza de não acontecer, prevalecia e todos viviam suas vidas normalmente.

Billy Graham em um dos seus livros diz que não nos preparamos para morrer, e quando morremos damos trabalho para os que ficaram. São raros os casos de pessoas, ou famílias que possuem testamentos prontos, planos funerais, jazigos familiares e essas coisas que a morte requer. E quando acontece, a correria na hora mais cruel para a família é grande. E, então, os aproveitadores da desgraça alheia, aparecem e sugam tudo que podem sem nenhum pudor.

Vendo o filme, fiquei pensando na volta de Jesus Cristo. Ninguém sabe quando será, nem mesmo o próprio Jesus: "Quanto ao dia e a hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai" (Mt 24:36). Só se sabe que será de repente, como um relâmpago: "porque assim como um relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do Homem" (Mt 24:27). De repente. Será como a chegada de um ladrão, ninguém espera: "se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada" (Mt 24:43). De repente, quando menos se esperar, Jesus Cristo aparecerá e pegará muitos de surpresa, ou todos. Será como um grande tsunami descendo do céu.

"Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor" (Mt 24:42), é o conselho de Jesus Cristo, que ainda diz que neste dia, dois estarão andando juntos e de repente, puf, um será levado e o outro ficará (Mt 24:40,41). Imagine a cena: você tomando um café com um amigo e, de repente, puf, você estará sozinho; ou, você dentro da igreja com um monte gente ao seu redor e, de repente, puf, você estará quase que só, ficarão alguns com você; ou, você em sua casa almoçando com sua família e, de repente, puf, você estará completamente só. Será dolorido.

Talvez você esteja achando tudo isso uma grande besteira. Cristo nos lembra dos dias de Noé, quando este anunciou o dilúvio. Ninguém levou o cara a sério, e continuaram suas vidas normalmente, até que o dilúvio veio e levou a todos (Mt 24:37-39). E ele alerta que, por causa da imprevisibilidade deste acontecimento, todos devemos estar preparados (Mt 24:44).

Ninguém esperava o tsunami no Oceano Indico, em 2004. E, de repente, foram mais de 230.000 mortes na Indonésia, Sri Lanka, Índia, Tailândia e Maldivas. Na cidade de Mariana, todos levavam a vida tranquilamente. Estudavam, passeavam, frequentavam suas igrejas, até que, de repente, chegou aquela enxurrada de lama e de minérios, que arrasou cidades e vidas, viajou por volta de 600km, poluindo as águas dos rios, até chegar ao mar, e poluí-lo também.

Não vale a pena correr o risco. Tome logo sua decisão por Cristo, ou, de repente, pode ser tarde para você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.