Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

8 de set de 2017

Mergulhe bem fundo.

Conhecer a cidade de Paraty era um desejo antigo. Finalmente pude realizar meu desejo. Fui com minha esposa passar um fim de semana lá e foi muito bom. Fizemos um passeio que incluía uma parte da Mata Atlântica. Como foi bom estar ali em plena mata e encontrar uma cachoeira linda. O barulho das águas, o ar puro, aquele cheiro de verde, é renovador. Observar aquela mata e toda aquela água que desce por cima das pedras continuamente é muito, muito gostoso. Numa das pedras é possível até descer deslizando como se fosse um tobogã.

Ana sentou-se numa pedra com os pés dentro da água, sentei-me ao lado dela e fiquei olhando para aquilo tudo e o pensamento voou. Fiquei imaginando o tempo que aquela cachoeira estava ali. Os caminhos que ela já teve só naquele pequeno trecho. Dava para ver com clareza que o trajeto atual não é o que sempre foi. Algumas pedras que hoje estão secas já foram usadas antes como passagem para as águas. Quantos metros cúbicos de água já rolaram por aquelas pedras abaixo? De onde vem toda essa água? Antes que qualquer ser humano chegasse ali ela já estava ali despejando suas águas montanha abaixo. Mesmo que ninguém nunca a descobrisse ela continuaria ali, levando vida por onde passasse.  Não consigo ver uma coisa assim e não pensar em quem preparou tudo aquilo. Não é possível deixar de ver a mão de Deus ali naquele lugar.

Quando fez aquilo tudo ele não se preocupou com quem iria ver, possivelmente. Mas fez. Ele não fez para “mostrar” para quem quer que fosse que ele era o cara. Fez por que sabia que um dia aquilo seria admirado; que faria, com certeza, alguém pensar nele, como aconteceu comigo. Mesmo que ninguém pensasse nele, independentemente do que fosse acontecer ele fez e deixou ali.

É assim que Deus é. Ele simplesmente é. Sempre, ele será. Independente de mim ou de você ele é. Independente de qualquer situação ele é amor. Independente de qualquer atitude nossa ele nos ama, pois ele é amor. Independente do que pensamos, ou não, a seu respeito, ele é justo, verdadeiro, santo, fiel, digno, merecedor de toda adoração e louvor.

Tanto quanto aquela cachoeira, ele continua jorrando amor, compaixão, fidelidade, carinho, dedicação, e tudo mais que é inerente ao seu ser. Se queremos ou não, não muda o seu jeito de olhar para cada um de nós.

No passeio na floresta, Ana e outras pessoas aproveitaram das águas da cachoeira. Deslizaram pedra abaixo por onde a água corria e ao final mergulhavam no poço formado ali. Em outra parte entraram num “poção” de águas entre umas pedras. Eu e outras pessoas não fizemos isso. Saímos de lá secos como chegamos. Assim é o amor de Deus, quem quer mergulha, aproveita das delícias que é estar ali. Outras ficam de fora sem aproveitar. Não querem se “molhar” no amor de Deus. Preferem a sequidão da indiferença para com Deus.

Dentro de nossas igrejas existem alguns que até chegaram próximo a “água” (Deus), mas apenas molharam suas mãos e passaram no rosto, ou nos cabelos, ou apenas molharam os pés. Não mergulharam totalmente para se encharcarem dele. Têm algumas restrições. Mas ele está lá, disponível para quem quiser. Pronto para molhar até a alma àqueles que assim permitirem. Aqueles que mergulharem até o mais profundo.

Quando chegamos à pousada Ana disse que estava renovada, que a água da cachoeira havia feito um bem muito grande para ela. É assim também com Deus. Ele renova nossas forças. Como já nos garantia o profeta Isaías, “Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão, mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão” (Is 40:29,31).

Não espere mais para aproveitar de tudo que ele pode e quer te dar. Deus tem prazer em nos dar aquilo que desejamos, que nos faz bem, que nos anima, que nos alegra, que nos fortalece. Não é uma questão de fazer em troca. Não é uma questão de fazer por merecer. Não é nada disso. No verdadeiro amor isso não existe. No verdadeiro amor há uma troca espontânea por amor e não por necessidade ou merecimento. É um dar por dar, por amar, por querer ver o ser amado feliz, contente, revigorado, extasiado pela inundação do amor recebido.

É assim que vejo Deus e o seu amor. Eu desfruto disso e sou feliz por isso. Tenho certeza de que tudo que tenho feito não seria nada em relação ao que recebo. Se dependesse de merecimento eu nada teria, ou pouco teria. Mas não é assim. Ele me ama e me dá, sem me cobrar nada. E por gratidão a esse amor eu me dou a ele e procuro fazer alguma coisa. Não para pagar o que recebo, mas por gratidão somente.


João viu “o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro” (Ap 22:1), e o rio continua fluindo. Cabe a cada um nós a opção de nos encharcarmos nesse rio, ou ficarmos de longe olhando os que o fazem. Não perca tempo, mergulhe neste rio e se deixe levar pela vida abundante que ele te prometeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.