Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

3 de set de 2016

Morrer

Morrer é um verbo e, como todo verbo, indica uma ação. Mas este é um verbo que não gostamos muito, pois ele representa a ultima ação de cada um de nós. Como não queremos morrer, não gostamos muito deste verbo. Esta é uma ação que podemos comparar com um urubu, alias, tem tudo a ver. Sabemos que existe, mas não queremos proximidade. Pensamos que não nos faria falta se não houvesse.

Existem algumas formas de morrer. Pode ser de causa natural, acidental ou proposital.
• Natural seria morrer de velhice. Quando os muitos anos nos tiram toda a vitalidade e, aos poucos, a vida se esvai. Incluo aqui as causadas por alguma enfermidade, pois, após a queda no jardim do Éden, doenças passaram a fazer parte da natureza do homem.
• Acidental, lógico, por um acidente qualquer. Uma batida de carro, um avião que cai, um erro médico, uma bala perdida, ou um piano que cai na sua cabeça, ou mesmo uma casca de banana que te faz escorregar e bater com a cabeça no chão.
• Proposital seria o suicídio. Quando a pessoa resolve tirar a própria vida. É uma fuga, uma fraqueza diante de alguma dificuldade, de um desapontamento muito grade, uma traição. O suicida decide que não vale mais a pena lutar, e tira a própria vida. O suicídio é pecado. Incluo nesta categoria os assassinatos, pois quem matou tinha o propósito de matar.

Esta é a minha visão. Posso não estar totalmente correto, mas também não estou totalmente errado. O que sei é que ninguém nasce querendo morrer. Durante muito tempo nem pensamos nisso, e quando começamos a pensar é apenas para desejar que demore muito. Mas uma coisa eu sei que é totalmente certa: todos, isso mesmo, TODOS iremos morrer.

Quando olho para a Palavra de Deus, a Bíblia, percebo que ela me fala de dois tipos de morte: a física e a espiritual. A morte física é quando nosso corpo material se vai de forma natural, acidental ou proposital. Após a desobediência de Adão e Eva, Deus mostra uma serie de consequências que o pecado traria, e diz que o homem viveria aquilo tudo até que voltasse a terra, "pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás" e, segundo o autor da carta aos Hebreus, "o homem está destinado morrer uma só vez" (Hb 9:27). 

A morte espiritual acontece quando nos distanciamos de Deus que é a fonte da vida. Deus orientou Adão e Eva a não comerem da árvore do bem e do mal "porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá" (Gn 2:17). Além da morte física o homem teria então a morte espiritual, pois a desobediência o afastaria de Deus, o doador da vida. Paul Washer diz que o homem caído "é declarado espiritualmente morto por causa de sua inabilidade absoluta de reagir a Deus", tanto quando na morte física o homem não tem nenhuma reação. Esta é uma morte que o homem conhece em vida. O pecado que reina em nossa vida causa essa morte. 

Esta, certamente, é a pior morte. Mas graças a Deus pelo seu imenso amor que nos mandou seu "Filho Unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3:16). Paulo escrevendo aos efésios diz: "Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados" (Ef 2:1). Na mesma carta ele complementa: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” (Ef 2. 8).

Então, continuo não querendo morrer, mas me consolo pela garantia de vida eterna que Jesus Cristo me concedeu quando morreu em meu lugar. Ele de uma vez por todas já pagou pelos meus erros. Cabe a mim crer que este sacrifício basta, que não há nada que eu possa fazer a não ser crer. Marta diz a Jesus que se ele chegasse mais cedo, certamente, Lázaro não teria morrido. A resposta dele é segura e confortadora: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente" (Jo 11:26,26).

Não sei como, nem quando, mas sei que minha hora chegará, assim como a sua. Mas tenho a convicção de que apenas meu corpo, que perambula por este mundo sobre duas pernas, findará. Voltarei ao pó, mas meu espírito voltara a Deus, que o deu. Como vai ser isso, ainda estou tentando entender. Mas não importa se entendo ou não, apenas creio que assim será.

E você, no que crê?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.