Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

7 de jul de 2017

A lição do morceguinho.

Hoje por volta das 15hs, um funcionário da empresa me chamou para mostrar alguma coisa. Ao chegar, me mostrou um morceguinho que dormia tranquilamente pendurado numa fina folha de um coqueirinho no jardim da garagem, muito próximo ao local onde os funcionários passam. O vento batia levemente na folha e o bichinho balançava em seu sono profundo e despreocupado. Não resisti e bati uma foto (ao lado). Já viu que não sou bom fotografo, né?

Enquanto tentava editar a foto, lembrei-me de um texto bíblico em que Jesus fala sobre nossa ansiedade pelo dia a dia: "Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? (Mt 6:25,26).

Acho fantástico quando Deus aproveita uma simples coisa para nos ensinar um principio tão grande. Logo depois destas palavras Cristo diz que Deus, o Pai celeste, conhece todas as nossas necessidades, e dá o toque final: "Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mt 6:33).

Olha que delicia de oportunidade para aprender. Aquele morceguinho pendurado naquela folha, que parecia até com um casulo, sem cores vibrantes como outros pássaros que conhecemos, e que nem é um bicho tido como bonito, serve para que eu ouça Deus me falando: "Cara, eu tenho visto você, nestes últimos dias, tão desesperado. Não aprendeu ainda? Que mais eu preciso fazer?". E eu só pude dizer: "Senhor, eu sou apenas um menino imaturo. Perdoa-me mais uma vez. Estou no processo, ainda".

Ai fiquei pensando no que fazemos no dia a dia. Se você viaja de ônibus para um lugar distante, alguma vez já perguntou ao motorista se ele esta bem, se dormiu bem, se está descansado? Já pediu para ver a habilitação dele, para saber se ele tem autorização para dirigir aquele veiculo? Se viaja de avião, pediu para confirmar a ficha de abastecimento do avião para saber se o combustível é suficiente? Quanto tempo o piloto tem vôo? Sabe se ele não é um louco suicida? Claro que não. Você supõe que alguém já confirmou tudo isso, senta lá, dorme, e até ronca perturbando os outros, na certeza que vai tudo bem. 

Porque não conseguimos agir do mesmo modo com Deus, confiar despreocupadamente? Por mais experiências que tenhamos com ele, e eu tenho algumas de respostas dele, claras, ainda assim agimos de maneira diferente. Não temos paciência para esperar a hora dele. Queremos tomar as rédeas e fazer do nosso jeito, e perdemos o sono, calculando, planejando e resmungando.

Aí, quando já estamos quase achando que somos Deus, surge um bichinho cinza, feio, sonolento, pendurado de cabeça para baixo, numa tênue folha, e lhe dá uma oportunidade para aprender uma lição de vida, para descansar e esperar em Deus (Sl 37:7), pois ele está no controle de tudo.

Obrigado Senhor por aquele morceguinho, que para mim, agora, é um lindo bicho. Eu aprendi a lição do morceguinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.