Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

8 de jun de 2012

Ser pai


Ser pai não é uma tarefa muito fácil. Mãe eu não gostaria de ser. É bem mais difícil que ser pai. Imagine ficar nove meses com aquele barrigão pesado (é, alguns homens carregam uma por mais tempo). Só de pensar em todas aquelas dores na hora do parto, já agradeço a Deus por ter sido mãe. Não, não é para mim. Mas ser pai é bem complicado. Principalmente se forem filhas. Eu tenho duas.

Desde o nascimento sempre oramos, eu e Ana, pelo futuro marido delas. Nossa oração sempre pedia para elas um homem de Deus. Um cara honesto, carinhoso e todas aquelas coisas boas que montavam um perfil do melhor marido possível para nossas filhas. Nunca nos esquecíamos de colocar a principal: homem de Deus. Poderia até ser pobre, mas tinha que ser homem de Deus.

Tudo isso é muito saudável, e ao mesmo tempo bem engraçado. Pois se estávamos criando um perfil, eliminávamos a vontade de Deus. Queríamos um homem de Deus, mas que se enquadrasse naquele perfil. Como se Deus não soubesse o que seria melhor para elas. Éramos legais com Deus, não precisava ser rico, não, isso não era importante. Facilitávamos o serviço de Deus eliminando um grande grupo. Deus deve ter se sentido aliviado: “Ufa!!! Menos trabalho”.

Mas, qual a garantia de que um homem de Deus não traria problemas? Afinal, mesmo os homens de Deus possuem algo que os impedem de serem perfeitos. Mesmo os homens de Deus têm desejos próprios. Homens de Deus não significa robôs de Deus. Talvez um dos grandes exemplos disso seja Davi. Samuel diz, sobre ele, que “o Senhor procurou um homem segundo o seu coração” (I Sm 13:14) para liderar o seu povo, e mais tarde a narrativa bíblica nos mostra o rei Davi cometendo erros, que se fosse ele líder em nossas igrejas seria execrado instantaneamente.

E então, qual a garantia que um genro ou uma nora, segundo o coração de Deus, não trará problemas para nossos lindos filhos/filhas? Infelizmente não há. Não existem regras, fórmulas mágicas para que isso aconteça.

Há muito tempo que descobri que eu não sou Deus. É verdade. É triste admitir, mas não sei de todas as coisas, não estou em todos os lugares ao mesmo tempo e não tenho todo o poder. Não tenho o controle de todas as coisas. Seria muito bom se tivesse tudo isso, mas não tenho. Então me resta confiar naquele que tem: Deus. Ele é “meu refúgio e minha fortaleza, meu alto retiro e meu libertador, escudo meu, em quem me refugio” (Sl 144:2). Ele é a minha única esperança. Ele é a minha base forte. Ele é o meu socorro. Ele é tudo para mim. Não dá para viver de outra forma e não ir à loucura.

Assim, quando me vejo diante de situações que não sei o que fazer, eu simplesmente confio em Deus. Foi ele quem prometeu: “Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei” (Is 41:13).

A tarefa de ser pai continua complicada, porém, mais leve. Seja o que for que o genro segundo o coração de Deus fizer lá estaremos, Deus e eu. Minhas filhas estão bem guardadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.