Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

8 de dez de 2012

A vida é um sopro.


“A vida é um sopro”, disse Oscar Niemeyer que morreu aos 104 anos. Não sei qual era sua idade quando falou isso, mas vamos combinar que se tem alguém que não poderia dizer que a vida é um sopro, esse, honestamente, era ele. Quando eu nasci o Palácio da Alvorada, desenhado por ele, já estava com cinco meses de inaugurado, em Brasília. Como assim um sopro?

Mais que um sopro, a vida desse homem foi uma baita ventania. Talvez até mesmo um tufão, pois deixa marcas quase que eternas pelo mundo todo. O legado que ele deixa na vida profissional é algo de incalculável valor. A dedicação até o final de sua vida para manter-se ativo é um exemplo para muita gente nova que já anda por ai entregando os pontos. A quantidade de obras que ficam para serem admiradas por olhos atentos, é muito grande. Definitivamente a vida dele não foi um sopro, mas sim um furacão que deixa boas lembranças para muita gente. Talvez para o mundo todo.

Mas de alguma maneira, sua frase está corretíssima. É bíblica. O rei Davi já deixou registrada a mesma visão da vida quando escreveu que “o homem é como um sopro; seus dias são como uma sombra passageira” (Sl 144:4). Na sua angústia Jó faz a mesma reflexão sobre a vida quando diz que “o homem nascido de mulher vive pouco tempo e passa por muitas dificuldades. Brota como a flor e murcha. Vai-se como a sombra passageira; não dura muito” (Jo 14:1,2). Seguindo na mesma linha de pensamento, o profeta Isaías diz “que toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória como a flor do campo. A relva murcha e cai a sua flor, quando o vento do Senhor sopra sobre eles; o povo não passa de relva. A relva murcha e as flores caem, mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre” (Is 40:6,7,8). Bem mais tarde Pedro, em sua primeira carta, relembra estas palavras de Isaías (I Pe 1:24). Assim fica entendido que a vida realmente é muito, muito passageira. Para alguns o tempo é ainda muito menor que para outros, mas uma coisa é certa, ela passa para todos.

Então o que fazer?

O livro dos salmos nos dá uma boa dica: “Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios” (Sl 90:12). O salmista sabedor de que os dias são vividos sob a ira de Deus contra o pecado, pede a Deus sabedoria para viver o dia a dia. Ele conhecia bem o Deus que amava e sabia que ele não tolerava os erros cometidos contra suas ordenanças, pois estes erros levavam a um triste final. Então ele faz um apelo para que Deus dê ao homem a sabedoria de perceber a fragilidade da vida e valorizar cada instante vivido, vivendo com íntegradade como agrada a Deus. Mais adiante o mesmo salmista diz “Como são felizes os que andam em caminhos irrepreensíveis, que vivem conforme a lei do Senhor!” (Sl 119:1).

Assim que, se a vida é breve, precisamos vive-la com sabedoria. E sabedoria é obter conhecimento e saber usar este conhecimento. Para todo o Antigo Testamento este conhecimento é o conhecimento da vontade de Deus, e a sabedoria consiste em praticá-lo com sinceridade de coração. Oscar Niemeyer viveu longos 104 anos, mas não buscou esse conhecimento, pois ele nem acreditava em Deus. Era ateu declarado.

Nós que continuamos em nossa breve vida, busquemos alcançar corações sábios e viver cada dia como se fosse o último, sempre dedicando tudo que fizermos àquele que nos deu o sopro da vida que não passa de um sopro.

Talvez precisemos fazer das palavras de Davi uma oração diária: “Senhor tu examinaste a fundo a minha alma e conheces todas as coisas a meu respeito. Por isso, ó Deus, examina a minha vida em detalhes! Põe os meus pensamentos e emoções à prova, toma conhecimento de tudo! Descobre qualquer caminho errado e mau e orienta-me para que eu ande sempre pelo caminho da vida eterna” (Sl 139: 1,23,24).

Um comentário:

  1. Niemeyer está certíssimo. Diante da eternidade que está posta no coração dos filhos de Deus vencedores, que são 104 anos. Como morreu, ateu declarado, toda a obra deixada é nada diante da decisão que poderia ter tomado em crer em Jesus como seu salvador. Sem dúvida, que ele é um exemplo em muitas coisas, mas, no que diz respeito à vida eterna, morreu sem saber nada.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.