Que bom que você veio!!


Que bom que você veio!!
Quero escrever textos que nos ajudem a entender um pouco mais daquilo que Deus tem para nós, para falarmos uma mesma linguagem. Não tenho o objetivo de ser profundo, nem teológico, nem filosófico, nada disso. Quero dizer coisas simples que pululam em minha mente, sempre atento para não contradizer em nada a minha fé, ou o que creio ser a vontade de Deus.
No mês de Agosto/12 há um texto que explica o significado e o porquê do nome Xibolete.

30 de dez de 2012

Sorria! Você está sendo filmado!!!


Ontem estava atravessando a rua e quase fui pego por um carro branco com vidros escuros que avançou o sinal. Ao passar por mim pude ler um letreiro com letras negras na lateral, que dizia: “Deus é amor”. Depois que ele passou pude ler no vidro traseiro outra frase: “Propriedade de Jesus”. Se eu fosse atropelado deveria reclamar com quem? Com o motorista ou com o proprietário? Se eu fosse atropelado e morresse poderia falar cara a cara com o proprietário, não é mesmo?

Algumas perguntas surgem em nossa cabeça nesta situação. Nos dias em que estamos vivendo, uma delas é: Será que o carro foi roubado e o ladrão está em fuga? Neste caso acredito que não, pois um ladrão em fuga normalmente imprime velocidade bem maior do que a que ele estava. Resolvido isso fica outra questão: Será que ele é crente mesmo, ou comprou este carro de outra pessoa que era? Esta pode ser uma verdade. Mas, e se não for isso? Será que ele é um cristão mesmo? Como um cristão anda por ai durante o dia avançando sinais de transito em lugares de grande trânsito de pedestres?

Outras situações podem ser de igual valor para pensamos aqui.

Vejo constantemente pelos campos do nosso país, vários dos nossos “irmãozinhos” que jogam futebol dando feias “butinadas” nos seus colegas de profissão. Quando o juiz marca falta, reclama com a maior cara de pau que não fizeram nada e, ainda pior, movem seus lábios que podem ser lidos à distância com expressões que não estão nas páginas da Bíblia.

Os jornais não se cansam de mostrar os políticos evangélicos que estão enfiados nas cachoeiras, mensalões e todas as maracutaias que rolam pelo Brasil político afora. Alguns ainda oram agradecendo a Deus suas “receitas”. Será que dão o dízimo???

A tão “inocente” cola nas salas de aula. Que coisa mais boba. Li certa vez num livro que todo pecado se resume ao roubo. A mentira é um roubo da verdade que alguém deveria ouvir. A cola é um roubo daquilo que alguém se esforçou para aprender. Talvez horas de sono foram perdidas em busca daquele conhecimento, e agora, com uma esticadinha de pescoço, você surrupia facilmente aquela resposta.

E o que dizer daqueles sites esquisitos no escondidinho do quarto à noite? Sem que ninguém esteja vendo, afinal, todos estão dormindo. Então, “inocentemente”, você sai passeando por todas as páginas impróprias que não teria coragem de ver num ambiente onde outras pessoas estivessem.

Ouvi certa vez um pastor falando da sua experiência com um jovem casal que o procurou para um aconselhamento. Os dois queriam saber se alguma coisa que faziam no namoro era pecado. Ele levantou-se da sua cadeira e pediu que os dois fossem para um sofá que existia em seu gabinete, e se assentassem ali. Depois de um tempinho em silencio olhando para eles disse: “Vamos lá. Namorem na minha frente. Façam tudo que vocês fazem no namoro de vocês”. Disse que os dois ficaram com caras de paisagem, sem saber o que fazer e, por fim, disseram que não podiam fazer na frente dele, pois tinham vergonha. Então ele disse: “Vocês sentem vergonha de mim, mas não de Deus?”.

Essa é a questão. Perdemos a noção da presença de Cristo ao nosso lado como ele prometeu quando despede os discípulos para o grande “Ide”: “eis que estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mt 28:20).  A nossa dificuldade de ver sem a presença material é grande demais. Não conseguimos nos manter ligados o tempo todo. Perceber o invisível que está ao nosso lado não é fácil. Tanto quanto a fé, é um exercício diário. É prática constante. Desejo de ver. Anseio mesmo de ver, com os olhos da fé, que Cristo, como prometeu, está SEMPRE ao nosso lado. Por isso nos permitimos agir como se ninguém estivesse nos observando.

A Bíblia nos traz a promessa de uma presença contínua do nosso Deus conosco. Mas parece que isso não nos assusta tanto quanto um policial ou um radar eletrônico que poderá nos multar, ou placas que nos alertam: “Você está sendo filmado”. Muitos dirão: “Que bobagem! O que é que tem?” Pode parece uma bobagem, mas olha a que conclusão chegou Davi em seu relacionamento com Deus: “Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. Se eu disser: Ocultem-me as trevas; torne-se em noite a luz que me circunda; nem ainda as trevas são escuras para ti, mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa” (Sl 139:7 a 12).

Não tem para onde fugir. É o Big Brother Divino. Os olhos de Deus não perdem nenhum movimento. São melhores que todas as câmeras mais modernas que você conhece. Sorria e viva a sua vida de maneira que nada seja motivo de vergonha para o evangelho. Não queira ouvir o que Jesus disse aos seus discípulos, e a todos que estavam ao redor: “Ó geração incrédula! até quando estarei convosco? até quando vos hei de suportar?” (Mc 9:19).

Um comentário:

  1. Olá, Pr. Ulício.

    Gostei dessa reflexão, principalmente da sábia iniciativa do pastor diante do casal de namorados.

    Nós, os que cremos em Deus, precisamos entender que são as nossas ações que dão legitimidade à nossa fé.

    "Resplandeça a vossa luz diante dos homens.."

    O que significa luz senão atitudes coerentes, equilibradas, que qualificam a vida e glorificam a Deus?

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, pois é sempre bom saber o que você pensa.